Um livro que me surpreendeu pela audácia vivida pela protagonista na época em causa …


Um livro que foge da sensualidade e caminha claramente para o erótico.

Numa narrativa na primeira pessoa. Alexandra o nome que se deu a si própria vai relatando como é infeliz no casamento, de como não sente prazer com o seu marido. Explica a sua atração por pessoas do mesmo sexo.
As suas aventuras ou loucuras para experimentar ter prazer com uma mulher, para as quais tem a ajuda de sua prima. Esta é a que vai instruindo, tirando as dúvidas e principalmente dar-lhe dicas de como evitar situações embaraçosas.

 

Com esta narrativa Alexandra vai contando o seu percurso, a descoberta da sua própria sexualidade, do prazer e de como o alcançar. Paralelamente à procura ávida da sua satisfação, esta sempre presente a preocupação com os seus sentimentos assim como das suas companheiras.
A narrativa acaba por ser interessante porque nos apercebemos das dificuldades vividas na altura, de como tinham de esconder a sua sexualidade, de forma a evitar um escândalo. As aventuras e artimanhas para evitar situações que não pretendiam.
A autora ainda realça outros aspetos da sociedade, como os segredos podiam ser usados em troca de favores. Como havia ascensão na vida política e social.

Uma sociedade dominada pelos homens mas orquestrada pelas mulheres, o que me fez pensar que a situação ainda se mantém. Claro que existem diferenças, vivemos com mais liberdade e fazemos as nossas próprias escolhas.

 

A escrita é descritiva de situações vividas pela narradora. Simples, direta e principalmente carregada de emoções e sentimentos.
É difícil descrever Alexandra, talvez porque não encontrei muitos pontos comuns com ela. Mas não posso deixar de mencionar o quão forte é, decidida a ter o que quer, mesmo que nem sempre da forma mais correta.

Um livro forte, esclarecedor, diferente e de fácil leitura …

 

Há opiniões que damos com grande facilidade porque é impossível não gostar de uma história romântica, com um toque de sensualidade. Uma história que nos deixa a suspirar e a sonhar.

Em dois enredos paralelos Emma Wildes conta a relação de dois casais, que não podiam ser mais diferentes um do outro. Um mais tempestuoso o outro mais romântico, mas que a combinação conquista o leitor desde das primeiras páginas.

Madeline encontra-se numa encruzilhada quando se vê chantageada e acaba por cometer um crime. De todos que a podem a ajudar só um nome lhe vêm à cabeça Luke Daudet. Um mal-afamado Visconde Altea habituado a lidar com situações difíceis, e homens com reputação duvidosa. Um homem que a deixou depois de uma noite de paixão porque não queria compromissos.

Luke quando recebe a mensagem de Madeline não hesita, porque desde do dia que se conheceram sabe que se sente atraído e o perigo que ela representa.
Depois desta descrição não é difícil perceberem que estou a falar do casal tempestuoso.

 Paralelamente a este enredo cheio de sensualidade. Onde existe uma cedência ao amor que nos deixa totalmente rendidas. Existe o caso da irmã de Luke , Elizabeth, que está na sua estreia de debutante onde procura encontrar o marido que lhe agradasse e para isso tem a aprovação e o apoio do irmão.

Acontece que o que procura tem estado com ela ao longo do tempo, o seu amigo e primo Miles. Foi um amor que cresceu e evoluiu sem os protagonistas se darem conta. Então existe peripécias que nos fazem rir ao mesmo tempo que nos enternece.

A autora contínua a ter enredos que nos prendem, que nos fazem sonhar e suspirar. Enredo que se percebe que foi escrito por uma mulher, porque é evidente o conhecimento da mesma sobre os sentimentos de ser mulher, como aquilo de que gostamos. Um livro que enche na totalidade as nossas medidas.

 A escrita é simples o que torna a leitura fluida e agradável. Tem atenção aos pormenores da época o que origina curiosidade e traz grande enriquecimento ao enredo.

As personagens são tão bem caracterizadas e descritas que acabam por criar grande empatia com o leitor. Pessoalmente adorei o desenvolvimento entre Madeline e Luke, principalmente a luta que este trava consigo negar o amor que sente por Madeline.

Um livro que vai ler num instante e que vai a ficar a pensar para quando outro da autora.

Um romance de subjugação, onde terão de ceder e compreenderem-se para atingirem o seu objetivo.

Depois de sete temporadas, Beatrice Albright ainda não tem noivo e sabe que as suas oportunidades escasseiam. Se não arranjar namorado irá acabar por viver com a sua mãe.

 Mas o seu mundo entra em ruína quando a um sua irmã mais velha resolve levar a irmã mais nova para a apresentar à sociedade, sobre a sua protecção. Os convites começam a escassear deixando Beatice numa situação onde não tem muita escolha, tem de arranjar um marido rápido.

O marquês Highcroft, Gareth Berenger é um solitário, suspeito de ter assassinado a sua esposa. Tem de voltar à sociedade Londrina porque tem de voltar a casar para ter um herdeiro. Tem consciência que não será uma tarefa fácil devido ao seu passado. Mas está certo que a sua noiva tem de ser aventureira, sem medo de nada e ansiosa por experimentar todas as paixões e prazeres imaginários, por mais chocantes e proibidos que possam parecer.

Quando abordado por Beatrice sente de imediato atraído por ela, sente o desejo de a domar, dominar. Quando esta lhe propõe casamento, explicando todas as vantagens. Ele aceita casar com ela, mas com uma condição, ela tem de se sujeitar a uma experiência. E se Beatrice a a superar então casarão.
E começa uma narrativa cheia de sensualidade, onde Beatrice vai ter de aceitar a ser dominada e Gareth vai encontrar a satisfação e plenitude que tanto ansiava.

Este livro é mais do que um relato sensual, é uma descoberta por parte das personagens dos seus sentimentos, medos e como os ultrapassar.
Beatrice com a ajuda de de Gareth vai reconhecer que a sua personalidade mantém todos à distância, e o porquê. Gareth vai deixar de sentir vergonha pelos seus desejos, encontrando alguém que os partilhe e principalmente desfrute.
Porque no amor não se trata de uma questão de dominar, de mandar mas sim de chegar a um equilibro em que os dois se sintam bem e satisfeitos
.
Comparando este livro com ‘Tabu’ (o primeiro da autora editado em Portugal) achei-o mais completo, ou seja mais do que uma narrativa sensual. Há personagens, sentimentos sempre presentes na narrativa sensual.

Um enredo muito sensual sem deixar de ser romântico acompanhado por uma escrita simples e empolgante, acaba por ser a fórmula para prender o leitor. Porque vamos adorar o mau feito da Beatrice e os desejos de Gareth .
Mas no fim compreendemos que todos procuramos alguém que nos aceite como somos, porque todos temos pontos fracos e fortes e nem todos os vêm da mesma forma.

Um livro que tem de ler …e uma autora que vou querer continuar a seguir